Jundiaí / SP


Local : Jundiaí / SP
Evento : Viagem até Jundiaí/SP para deixar a Bandit 650 S na concessionária Suzuki e trazer a Hayabusa GSX 1300 R.

Hospedagem : Parque D' Anape - Jarinú / SP
Site : http://www.parquedanape.com.br/
Pernoite : R$ 70,00

Data : 20/09/2013 (Ida) e 21/09/2013 (Retorno)

Km Percorridos : 600 km (ida) e 600 km (volta)



No mês de Setembro/2013 enfim o sonho de possuir uma lendária Suzuki Hayabusa se tornava realidade.
Após diversos contatos com a concessionária Suzuki de Jundiaí/SP, finalmente no dia 20/09/2013 peguei estrada com a Bandit 650 S 2011 e segui rumo à Jundiaí/SP para negociar a compra da Hayabusa GSX 1300 R, ano 2011, cor branca, com detalhes azuis.
Na negociação tive que deixar a Bandit 650s na concessionária.
Foram quase 600 km percorridos na viagem de ida, com saída de Maricá às 7:00 hs e chegada em Jundiaí por volta de 13:00 hs.
A viagem de ida, em uma sexta-feira, foi bem tranquila e decidi que não passaria pela capital de São Paulo, então segui pela Rodovia Presidente Dutra até Jacareí/SP e de lá continuei pela Rodovia Dom Pedro I, pois a viagem seria bem mais tranquila evitando a capital de SP.
Chegando na concessionária não tinha como deixar de ficar babando na bela máquina que é a Hayabusa e depois de todos o tramites burocráticos enfim chegou a hora da emoção, pilotar " A Lenda".
Uma mistura de ansiedade, emoção, medo e responsabilidade tomou conta de mim no momento de tirar a moto da concessionária.
A moto era ano 2011 com apenas 8.900 km rodados e com estado impecável, sem sequer um arranhãozinho.
Devagarzinho e com os pés no chão, fui saindo da concessionária, sem ter qualquer idéia de pilotagem daquela máquina, mas enfim, é a velha história, quem sabe andar de bicicleta nunca mais esquece e quem sabe "pilotar" uma moto, consegue pilotar qualquer outra.
Na saída da concessionária, isso já no finalzinho da tarde e escurecendo, foi uma primeira lição bem tensa a de andar com a Hayabusa por entre os carros nas ruas de Jundiaí, mas até que me saí bem.
Como já estava anoitecendo, decidi dormir próximo à Jundiaí/SP e continuar viagem rumo ao RJ no dia seguinte pela manhã, então peguei um trecho de estrada até a cidade de Jarinu/SP e fiquei hospedado no Parque D' Anape, um tipo de hotel fazenda, com chalés individuais, piscina, pesque pague, restaurante e uma imensa área verde.
Por sorte, naquela noite estava sendo realizado um casamento nas dependências do restaurante do Hotel e com jantar incluído, então chegando bem devagarzinho consegui uma boca livre, com direito a orquestra, mas tive que pagar as cervejas que consumi.
No dia seguinte foi só tomar o café da manhã e pegar estrada de volta pra casa, rodando basicamente a mesma quilometragem do dia anterior.
Pra quem nunca sequer havia sentado em uma Hayabusa, imagina a responsabilidade de percorrer quase 600 km sozinho em rodovias.
Na Bandit eu já havia alcançado a velocidade de 240 km/h, então ainda na Rodovia Dom Pedro I não resisti e decidi andar um pouco mais forte com a Hayabusa, conseguindo chegar a 260 km/h o que já estava muito bom pra quem pilotava " A Lenda " pela primeira vez.
A volta foi muito tranquila e a Hayabusa respondia excelentemente nas reduções de marcha e retomadas de velocidade.
Pilotar a Hayabusa pela primeira vez foi bem fácil, mas acostumar com a quantidade de pessoas que pelo caminho ficavam admiradas e elogiavam a moto, isso sim foi mais difícil, pois eu chegava a ficar sem palavras.
Foram elogios tipo: " Isso não anda não, isso voa" , "Caramba, parece até um carro de tão grande" e outros mais que nem lembro, fora a galera de carro nas estradas que ficavam admirando a moto passando por eles.
O único problema que tive em toda a viagem foi que na volta o ziper da mochila que estava na minhas costas abriu e com isso perdi uma camisa e um boné, e só fiquei sabendo porque ao parar em um pedágio, ainda em SP, o motorista de um carro me avisou.
Ainda no Parque D' Anape, um fato impressionante foi que pela manhã, ao acordar, abri a porta do quarto e me deparei com um gato preto, de olhos verdes, bem do lado de fora da porta e de imediato ele entrou no quarto, como se já fosse costume.
Enquanto fiquei por perto do quarto e da moto o gato preto ficou me acompanhando, então peguei ele e coloquei em cima da moto para tirar umas fotos, pois por coincidência, desde 2003 que adotei como meu avatar a imagem da cara de um gato preto com olhos verdes.
Meu medo de que na viagem de volta, eu sentisse dores nas costas, por conta da posição de pilotagem da Hayabusa, não se concretizou, sendo que o único problema de dores foram nos pulsos, chegando a ficar com as mãos dormentes.
Em casa e muito feliz por ter concretizado o sonho de adquirir uma Hayabusa, agora era descansar pra no dia seguinte acordar e ir direto na garagem pra ter certeza de que tudo aquilo não fora apenas um sonho.



HORA DE SAÍDA DE MARICÁ/RJ RUMO À JUNDIAÍ/SP


ÚLTIMA VIAGEM COM A SUZUKI BANDIT 650 S - 2011
1 ANO DE MUITO BOAS RECORDAÇÕES


EU JÁ HAVIA PASSADO PELA DIVISA RJ x SP VÁRIAS VEZES, MAS TIVE QUE TIRAR ESSA FOTO PRA BRINCAR COM UM GRANDE AMIGO QUE MORRE DE MEDO DE VIAJAR DE TRICICLO PRA FORA DO RJ.


PRIMEIRA VEZ QUE SENTEI EM UMA HAYABUSA JÁ FOI PRA SAIR COM ELA PRA ESTRADA E CONFESSO QUE CHEGUEI A SENTIR MEDO DE TAMANHA RESPONSABILIDADE.


HOTEL FAZENDA PARQUE D' ANAPE - JARINU / SP














O QUE PRA MUITOS SERIA SINAL DE AZAR, CONSIDEREI COMO AVISO DE MINHA PROTEÇÃO NA VOLTA PRA CASA.






APÓS UM EMOCIONANTE RETORNO, ENFIM A HAYABUSA NA GARAGEM E COMO TODAS AS MINHAS MOTOS RECEBEM APELIDOS, ESSA FOI BATIZADA DE DONA GORDA.